Valdemar Barros

 Valdemar Barros é professor de pintura em tela do Centro de Criatividade Odylo Costa Filho, com 20 anos de experiência profissional nas artes, já tendo realizado diversas exposições coletivas e algumas individuais, e tendo disputado o cargo de vereador de São Luís em 2014.

Em uma de suas exposições, “Cidades, cores e luzes” em 2013 o artista optou pelo gotejamento, lançando mão do respingamento de tinta sobre a tela, fazendo com que os pingos escorram e formem traçados harmoniosos.

Segundo Ivan Sarney, diretor Institucional da Assembleia Legislativa do Maranhão, Valdemar Barros integra o elenco dos jovens e talentosos artistas plásticos maranhenses, iluminados pelos focos de luz que os impressionistas trouxeram para a pintura universal e que, espalhados no universo das formas, das cores e das luzes, influenciaram movimentos como o cubismo, o surrealismo, o abstracionismo e outros movimentos pictóricos, tangidos pelos ventos da liberdade de expressão e racionalidade que o pensamento iluminista legou ao mundo civilizado a partir do século XVIII. As formas para os abstracionistas estão nos olhos e na alma de quem observa suas obras. Portanto, é possível ver pessoas, ruas, automóveis, árvores, pássaros, sol, lua, nuvens e orvalhos, nas cores e luzes das cidades.

Valdemar acrescenta que costuma contemplar o Centro Histórico de São Luís em diversos momentos e foi dessa experiência que nasceu a exposição “Cidades, cores e luzes”. Portanto, o artista inseriu nas telas uma observação subjetiva dessa leitura. "Passo a maior parte do tempo naquelas imediações. As luzes do Centro à noite, principalmente após a chuva, são belas e interessantes e foi nisso que me inspirei, transformando em arte esta observação", completou.
O artista explica que não trabalha somente com o conceito abstrato. "Este é o meu estilo próprio. Mas trabalho também com correntes artísticas figurativas, como o hiper-realismo, incluindo floral, natureza-morta, marinhas, casario que retrata a arquitetura colonial (é o que mais gosto)”. Conta ainda que trabalha geralmente por encomenda e que foi, e ainda se considera, aluno dos artistas Rogério Martins e Raimundo Bartolomeu.